Como escrever uma carta de apresentação acadêmica

Uma das exigências de candidatura das faculdades do exterior, seja para graduação ou pós-graduação, é o envio de um carta de apresentação acadêmica. Ela é fundamental quando a escola não consegue uma entrevista pessoal com o candidato, por isso os departamentos de admissão dão grande importância tanto à forma como ao conteúdo do texto.

Funciona como um teste que ajuda a instituição a conhecer o candidato e avaliar como ele pode contribuir para o programa. Portanto, se concentre em fazer uma boa carta de apresentação acadêmica, pois isso pode fazer a diferença na decisão final sobre sua entrada.

 

  • Muitos estudantes pensam que uma carta de apresentação é um trabalho acadêmico, mas não é. 

A primeira coisa que você deve saber é que não existe uma fórmula mágica ou uma estrutura predefinida para essa redação. Normalmente, os gabinetes de seleção sugerem uma ou mais questões para incluir nessa carta, e, por isso, a primeira preocupação deve ser responder a todas elas. Se tentar impressionar falando sobre tópicos que você considera importantes mas que não têm nada a ver com o que foi questionado, é provável que a sua redação não seja bem recebida.

 

  • As perguntas variam, dependendo da instituição e do programa.

Algumas faculdades se concentram mais no lado pessoal do candidato, enquanto outras colocam mais interesse no meio acadêmico e profissional. No geral, as perguntas se concentram em três temas: você, os seus motivos para a escolha do programa e o que você pode trazer de novo a ele.

 

  • Quando falamos que uma das questões mais importantes da avaliação é você, significa que o objetivo desses "testes de admissão" é que você se dê a conhecer. 

Os departamentos de seleção esperam que você faça uma auto-avaliação, enfatizando sua vida acadêmica e profissional (e não a sua privacidade). Não precisa fazer um resumo de toda a sua vida, mas deve descrever seus interesses, projetos e talentos de forma precisa e autêntica, sem parecer arrogante e presunçoso. Fale um pouco sobre vivências que marcaram você, que tenham feito você crescer como pessoa, estudante ou profissional. Podem ser sucessos ou fracassos: o importante é mostrar como essas coisas valiosas mudaram sua perspectiva do mundo. Não se preocupe porque não têm que ser situações extraordinárias ou incomuns, apenas acontecimentos que tenham mudado você de alguma forma.

 

  • Nessa carta, você também deve justificar porque escolheu aquele programa em vez de outro. 

É essencial que esteja familiarizado com o curso e lembre as razões pelas quais você se vai candidatar. Nem todos os programas que têm o mesmo grau ou que estão na mesma área são iguais. Seja qual for o motivo - diferentes objetivos, matérias da grade curricular ou professores -, seja o mais específico possível: não dê argumentos genéricos, como "X é a melhor universidade do mundo", ou "porque Z é o programa mais reconhecido na sua área" ou "porque Y está bem classificada no ranking" - dados como esses são conhecidos pelos membros do gabinete de admissão. Eles procuram é saber o porquê do seu interesse nessa área de estudo, como pretende se especializar nela, quão familiarizado e apaixonado você está pelo assunto e como estudar este programa (e não outro) pode influenciar seu crescimento pessoal, acadêmico e profissional.

 

 

  • A terceira parte que deve incluir na sua carta de candidatura é como você, seus interesses e seus contributos serão valiosos para o programa que vai estudar. 

Nesse ponto, você deve pensar que o departamento de seleção estão procurando pessoas que, com seus próprios conhecimentos, experiência e personalidade, podem enriquecer o programa e vida acadêmica. Portanto, enfatize suas conquistas, habilidades e objetivos futuros. Relacione seus objetivos com o que você fez para alcançá-los e mostre para a instituição que você é muito valioso e se esforça para cumprir suas metas. Tire ainda maior proveito da carta de apresentação explicando, no caso de ter algum problema com seus outros documentos (por exemplo, uma nota ruim), as causas do mesmo.

 

  • Outro aspeto importante é que deve ser bem escrita. 

O texto deve conter uma estrutura e análise coerentes, mostrando que você sabe sustentar suas ideias com argumentos lógicos. Tente se expressar de uma forma clara e numa linguagem em que se sinta confortável e familiar, sem formalismos desnecessários nem linguagens sofisticadas. Por outro lado, é muito importante que a carta de apresentação seja escrita com boa ortografia e gramática, fugindo de temas controversos ou clichés – isso é a sua vida, não um romance.

 

  • É difícil escrever uma excelente carta de apresentação acadêmica e essa é uma tarefa que requer tempo e dedicação.

Portanto, recomendamos que não começe escrevendo apenas um ou dois dias antes de apresentar sua candidatura e que leve seu tempo, calmamente, analisando as questões e pensando em cada resposta. Não escreva pouco mas também não exagere nem ultrapasse o número máximo de palavras permitido. Quando terminar, leia e releia o que escreveu, porque sempre encontrará erros e frases que pode melhorar. Pode também pedir aos seus amigos para que leiam e deem sua opinião.

 

  • Tente fazer um carta de apresentação que chame à atenção desde o primeiro momento. 

É fundamental que tanto o título como o primeiro parágrafo captem a atenção dos representantes das bancas de seleção. Se o título da sua carta de apresentação é comum ou se o primeiro parágrafo é simples e chato, é provável que parem de ler e se concentrem em outras centenas de cartas de apresentação que receberam.

Finalmente, quando você está escrevendo o texto, se mostre como você realmente é, pois só assim ele será verdadeiro e até memorável. O mais importante é que essa é sua folha de candidatura para o programa dos seus sonhos no exterior.

 

 

ESTÁ BUSCANDO A SUA FUTURA UNIVERSIDADE NO EXTERIOR? ENCONTRE ABAIXO