6 locais onde pode estudar e trabalhar no exterior

Encontrar um trabalho de meio turno enquanto estuda é uma ótima oportunidade para ganhar não só dinheiro mas também experiência profissional, novos amigos e conhecimentos sobre o mercado de trabalho do país onde estuda. Estudar e trabalhar no exterior ajuda você com os seus gastos, mas se lembre que o salário de meio turno não paga tudo. 

Antes de viajar ou começar um programa de estudos, você já deve ter dinheiro suficiente para cobrir suas despesas, até porque, logo na entrevista para a emissão do visto, você terá que fornecer seu histórico financeiro para a Embaixada do país onde você pretende estudar, bem como informar sobre a sua situação atual. 

Se esse é o seu objetivo, é importante pesquisar quais os países que permitem que os estudantes trabalhem enquanto estudam e em que condições. Convém lembrar que as leis mudam constantemente e que, portanto, deve acessar contantemente as atualizações.

 

Aqui você encontra informações sobre seis países que permitem trabalhar e estudar em simultâneo.

 

Estados Unidos: Nos Estados Unidos, se você tiver acesso ao Visto F-1, oferecido aos estudantes internacionais de programas de período integral, de idiomas, Ensino Médio ou outro tipo de curso superior no país, você terá o direito de trabalhar no Campus durante um máximo de 20 horas por semana no período de aulas e até 40 horas por semana nas férias escolares. Trabalhar no Campus implica que a instituição onde você estuda seja o seu empregador, mesmo que a atividade seja fora das instalações. Isso permite que você trabalhe para empresas que prestam serviços para instituição de educação (como cafeteria e serviços de biblioteca). Com o visto F-1, você apenas pode trabalhar fora do Campus se for cedida permissão pelo Serviço de Imigração dos Estados Unidos. Isso é possível um ano depois de você ter iniciado seus estudos e apenas se fizer o Treinamento Prático Opcional (OPT), relacionado com o seu campo de estudo, ou um Estágio Prático Curricular (CTP).

Mais informações aqui

Austrália: Caso decida trabalhar na Austrália, o visto para estudante permite até 40 horas de trabalho para cada duas semanas durante o período de estudo e em tempo integral durante as férias. É importante que saiba que, ao encontrar um emprego na Austrália, o empregador oferece um acordo, no qual é informado o valor mínimo recebido por hora e as condições de trabalho. Aqui, o valor mínimo por hora trabalhada é estabelecido pelo governo e, por isso, dependendo do setor em que você trabalha, o melhor é saber com antecedência qual o valor mínimo que irá receber.

Mais informações aqui

Reino Unido: Aqui também é permitido trabalhar como estudante, mas somente se for concedido o Visto Tier 4. Ele é dado a estudantes internacionais que planejam ficar por um período igual ou superior a seis meses no país, mas a permissão de trabalho no Reino Unido depende do tipo de curso e da instituição de estudo - deve ser uma instituição governamental ou que ofereça ensino superior. O número de horas que você pode trabalhar é, no máximo, de 10 a 20 horas por semana durante o período de estudo, mas isso também vai depender do tipo de curso que frequenta. Durante as férias, o estudante poderá trabalhar até 40 horas por semana em período integral.

Mais informações aqui

França: nesse país, você também tem a oportunidade de trabalhar tanto no Campus como fora dele, desde que tenha um cartão de residência e esteja estudando em uma instituição que ofereça acesso a previdência social. Sendo estudante na França, pode trabalhar até 964 horas durante o ano, o equivalente a 60% das 35 horas por semana, geralmente cumpridas pelos trabalhadores franceses. Durante o período de estudo, pode trabalhar meio turno e, durante as férias, em período integral, desde que não ultrapasse o máximo de horas permitido durante o ano. Na França, o pagamento mínimo é de 9,40 euros por hora, mas se mentalize que você terá que pagar 20% do seu salário em taxas.

Mais informações aqui

Alemanha: Aqui, você pode trabalhar até 120 dias por ano em período integral ou até 240 dias em meio turno. Apesar de que, na Alemanha, o pagamento mínimo por hora não está estabelecido, a média é de 6 a 10 euros por hora. Se quiser trabalhar mais horas, você precisa fazer um pedido especial na Agência de Emprego Federal do estado onde você estuda, bem como às autoridades de imigração. Ainda existe a hipótese de trabalhar mais de 120 dias por ano, caso encontre um emprego na instituição onde estuda, mas lembre-se: se fizer isso, também tem que pedir uma permissão às autoridades locais. Caso esteja fazendo um curso de idiomas na Alemanha, você apenas pode trabalhar durante o período de férias.

Mais informações aqui

Espanha: Na Espanha, os estudantes internacionais podem solicitar a permissão de trabalho junto das autoridades locais para trabalhar até 20 horas por semana. Isso oferece a você a oportunidade de trabalhar em uma empresa com um contrato de trabalho de meio turno. A permissão tem mesma duração que o contrato e não pode ser maior que a duração do visto de estudo. Não se esqueça que o trabalho deve estar relacionado com o programa de estudo que você está fazendo e, ainda, que pode trabalhar em tempo integral ou até 3 meses durante o período de férias escolares.

Mais informações aqui

 

Tags