Os erros mais comuns que os comissários intercambistas

Muitos estudantes pensam em fazer um intercâmbio, entretanto, apesar de ser empolgante a possibilidade de poder viver uma nova aventura em outro país, planejar não é tarefa fácil, de verdade. Para os que irão se aventurar pela primeira vez, é preciso saber lidar com as escolhas e burocracias, que serão muitas, mas nada que seja necessário se assustar, apenas se organizar.

Neste processo, que antecede o intercâmbio, é comum que alguns detalhes passem despercebidos aos estudantes menos experientes, por isso, vale destacar que é preciso estar atento a todos os detalhes da sua viagem, para não esquecer de partes importantes do seu planejamento, pois isso pode resultar em problemas e até mesmo no cancelamento do seu intercâmbio.

Desta forma, para facilitar e ajudar na sua experiência em outro país sem situações desagradáveis, separamos aqui alguns dos erros mais comuns cometidos pelos intercambistas.

Não buscar todas as informações

Um dos problemas que são repetidos, entre os estudantes, é a falta de pesquisa aprofundada sobre o destino de seu intercâmbio e, geralmente por causa disso, acabam escolhendo o lugar errado. Quando não se faz pesquisas a respeito do país para onde se vai, por exemplo, se o país é frio, bem como sua cultura, os costumes, entre tantos outros detalhes, pode fazer diferença para uma melhor escolha, e consequentemente, uma boa adaptação. 

Esse é um dos erros mais comuns e que pode resultar no fracasso da experiência, se você for do tipo de pessoa que não se adapta facilmente ao novo, esse pode ser um agravante para se decepcionar com a sua experiência, visto que a expectativas normalmente são altas. 

Por isso, antes de viajar, busque todas as informações necessárias a respeito do país em que pensa passar uma temporada, para que você possa ter o melhor intercâmbio possível.

Não buscar ajuda profissional

Alguns estudantes não levam esse detalhe em conta e acabam fazendo escolhas erradas. Nesse processo, é normal que boa parte não faça ideia por onde começar, quando o assunto é fazer um intercâmbio, já que existem tantos itens para se resolver e escolher antes de sair de casa, como a escola e o país de destino, o visto, as acomodações, passagens, seguro e tantos outros detalhes que os deixam perdidos.

Para essa situação, existem agências especializadas com profissionais da área que fazem uma avaliação do perfil de cada intercambista e repassam as opções que possam considerar relevantes para a sua escolha. Como parte do serviço, a pessoa ainda recebe toda orientação para o embarque, detalhes da viagem de ida e, também, do retorno.

Essa é uma alternativa interessante para os estudantes menos experientes no assunto, mesmo que sejam organizados. É importante ter alguém com credibilidade para auxiliar nos detalhes da sua nova experiência. 

Viajar sem Carta de Aceite da escola

Pode parecer improvável de acontecer, mas acontece. É imprescindível que o estudante, antes da sua viagem, esteja com a Carta de Intenção da escola ou Visa Letter em mãos para ser apresentado quando estiver na imigração. Essa carta comprova o seu vínculo de estudos com a instituição de ensino naquele destino.

Esse é o documento que os oficiais da imigração esperam ver quando você comunicar que está indo para estudar. Em caso de esquecer a sua Carta de Aceite, você poderá receber um visto de turista, o que limitará o seu período de estudos ou terá a entrada no país negada, sendo obrigado a voltar para o Brasil.

Então já sabe, além do visto, passaporte e todos os outros documentos, coloque em sua bagagem a Carta de Aceite para não ter nenhum problema. 

Comprar materiais necessários apenas no destino

Com a ideia de comprar itens com preços mais em conta no país de destino, existem intercambistas que optam por comprarem os materiais quando chegam no local. Essa atitude é bem arriscada, pois é necessário levar em consideração algumas situações, por exemplo, precisar da roupa de frio assim que desembarcar no aeroporto, ou seja, você pode começar a passar perrengue logo ao descer do avião.

Vale ressaltar que você deve estar preparado para o clima da região e deixar apenas alguns itens para comprar ao chegar, como alguns tipos de casacos, luvas, para aproveitar os valores mais em conta, sem se desesperar e acabar se desorganizando, Por isso a pesquisa aprofundada é importante.

Não contratar um Seguro Saúde

Muitos estudantes intercambistas ignoram essa parte ou, devido a quantidade de coisas para resolver, acabam esquecendo deste detalhe que faz uma grande diferença. E é preciso destacar que em muitos países, principalmente na Europa, o Seguro Saúde é obrigatório.

Já em outros países, como o Reino Unido, essa não é uma exigência, mas é fundamental que você contrate um, porque o Seguro Saúde garante que você seja atendido caso precise de alguma urgência médica, durante a sua estadia no país.
Como conselho para evitar uma situação com o gasto muito alto, contrate um Seguro Saúde mesmo que você vá para destinos em que não é obrigatório. Apesar de desejar que não precise utilizar, é melhor estar preparado. 

Não escolher a acomodação certa

Esse é um dos erros mais cometidos entre os intercambistas, que muitas vezes passam por alguns desconfortos. Considerando que o estudante esteja à procura de uma acomodação sozinho, é preciso lembrar que, quando for escolher a sua acomodação, é necessário verificar alguns pontos antes de fechar qualquer negócio. 

Um deles é a distância entre o alojamento e a escola. Apesar de ser o ideal, muitos estudantes pecam nesse ponto. O fato de não se preocupar o necessário com esse item pode fazer o estudante ter um custo ainda maior, visto que se escolher uma acomodação muito longe da instituição de ensino que irá estudar, será obrigado a gastar mais com transporte público.

Por este motivo, é preciso que busque as informações sobre as instituições. Hoje em dia já existem muitas que oferecem acomodação dentro do seu próprio campus. 

Já que estamos falando de residências dentro da escola, outro ponto que deve ser verificado é a quantidade de pessoas no seu quarto. Se você não gosta de muitas pessoas em seu quarto, é bom ficar atento. Em residências estudantis é comum ter quartos coletivos, com 4 ou mais pessoas, isso geralmente deixa o valor mais em conta. 

Pensar que o outro país é perfeito

Existem pessoas que pensam que fora do Brasil não acontece nada de errado, que não há problemas sociais, mas acabam se decepcionando com a escolha do país de destino quando tem alguma experiência ruim. Por isso, é importante que saiba que toda cidade grande costuma ter problemas, inclusive os de infraestrutura, saúde e segurança, mesmo em países desenvolvidos ou considerado de primeiro mundo.

Considerando esses detalhes e estando informado do que acontece no destino escolhido para o intercâmbio, a sua expectativa não será alta e consequentemente não terá tantas surpresas desagradáveis. 

Amizades só com brasileiros

Antes de tudo, vamos deixar claro que não é proibido fazer amizades com brasileiros em terras estrangeiras, porém tenha em mente que o objetivo de uma viagem de intercâmbio é expandir os horizontes e aprimorar melhor o novo idioma, assim como conhecer uma nova cultura. 

O mais indicado, neste tipo de viagem, é conhecer nativos e praticar a língua e aprender vivenciando a cultura do país. É bem comum pessoas, que fizeram o intercâmbio e se aproximaram mais dos brasileiros por questões de saudade ou para não se sentir só, retornarem com o arrependimento de não terem equilibrado essa questão. Então, faça amizades sim, mas busque dosar sua experiência, para que volte com novos conhecimentos. 

Ter apenas uma forma de pagamento

Quando se trata de uma viagem para outro país, para passar uma temporada ou até mesmo para fazer turismo, é preciso estar preparado para várias situações que podem acontecer durante a sua estadia no seu destino escolhido. 

Um exemplo de situação é, se você está apenas com dinheiro em espécie e acontece de perder ou esquecer em casa, não terá condições de pagar por produtos ou serviços que queira adquirir. Situação chata, não é?! Por isso é bom contar com alternativas, como cartão de crédito ou de débito pré-pago. 

Assim como, contatos telefônicos que você não lembra de cabeça, hoje há possibilidade de salvá-los na nuvem (cloud) para uma situação de perder o seu celular. 

Leia mais:
Acomodações estudantis em Portugal: o que preciso saber para conseguir uma, sem dores de cabeça?
Carta de intenção: veja como fazer o documento imprescindível para estudar em Portugal 
Visto Schengen: descubra como conseguir a autorização para viagem na Europa
Estudar e trabalhar em Portugal: saiba mais sobre o que é preciso para tornar realidade

Ora pois! Gostou das dicas e informações e quer se manter mais informado sobre Portugal? Acesse o nosso site e aproveite a viagem.