Os lugares mais seguros do mundo para estudar no exterior

A segurança é algo que muitas instituições de ensino, cidades e países se orgulham. Sua relativa segurança, comparada a outros lugares mais voláteis ou violentos, os tornam lugares mais atraentes para se viver e estudar, de modo que muitas vezes você verá instituições celebrando o quanto são seguras.

Mas como você pode quantificar a segurança? O que torna uma cidade mais segura que outra? E quais são os lugares mais seguros para se estudar?

Consciência, em primeiro lugar

Primeiramente, é importante mencionar que a "segurança do país", como será aqui referida, é relativa. A maioria dos países são seguros, especialmente se você permanecer ciente de qualquer perigo potencial, e 99,999% dos lugares que oferecem oportunidades de educação internacional estarão seguros. Se não estiverem, eles deixarão rapidamente de ser uma oportunidade de educação. Os únicos lugares que você realmente precisa ter consciência são áreas que estão atualmente engajadas em uma guerra contínua e, mesmo assim, muitos desses conflitos estarão contidos em áreas específicas que podem ser facilmente evitadas.

Também vale a pena notar que, embora nem sempre pareça, o mundo está se estabilizando e lentamente está se tornando mais pacífico. Relatórios consistentes da mídia sobre crime e violência sugerem o contrário, mas a mídia deve ser entendida como um mecanismo que frequentemente nos apresenta as partes mais horríveis da humanidade em qualquer momento.

A grande maioria da população do planeta é capaz de ter muita paciência, empatia e amor, por mais clichê que possa parecer.

Mas o "sentimento" de que os países estão ficando mais pacíficos não pode simplesmente ser deixado como está. Em nosso mundo moderno de estatísticas e medições, e da melhor forma possível, de análises objetivas, deve-se ter uma investigação sobre a segurança de um lugar. É aí que entram grupos como o Instituto de Economia e Paz e a Economist Intelligence Unit, que formam relatórios como o Global Peace Index, divulgado anualmente, que classifica estados e territórios independentes de acordo com sua tranquilidade.

Calcular a paz ou harmonia de um país é mais complicado do que simplesmente somar todos os crimes que aconteceram e ver qual país tem o menor índice. Julgar a segurança é como julgar a felicidade de um lugar. Embora pareça óbvio, é muito difícil quantificar.

Existem 23 indicadores usados pelo Global Peace Index para estabelecer a tranquilidade:

1. Número e duração dos conflitos internos
2. Número de mortes por conflitos organizados externos
3. Número de mortes por conflito organizado interno
4. Número, duração e papel em conflitos externos
5. Intensidade do conflito organizado interno
6. Relações com os países vizinhos
7. Nível de criminalidade percebida na sociedade
8. Número de refugiados e pessoas deslocadas em percentagem da população
9. Instabilidade política
10. Impacto do terrorismo
11. Terror político
12. Número de homicídios por 100.000 pessoas
13. Nível de crime violento
14. Probabilidade de manifestações violentas
15. Número de pessoas encarceradas por 100.000 pessoas
16. Número de agentes de segurança interna e polícia por 100.000 pessoas
17. Despesas militares em percentagem do PIB
18. Número do pessoal de serviços armados por 100.000
19. Volume de transferências de armas convencionais importantes como importações por 100.000 pessoas
20. Volume de transferências de armas convencionais importantes como exportações por 100.000 pessoas
21. Contribuição financeira para as missões de paz da ONU
22. Capacidade de armas nucleares e pesadas
23. Facilidade de acesso a armas pequenas e leves

Em geral, esses indicadores tentam medir o nível de harmonia ou discórdia dentro e ao redor de uma nação, bem como a segurança da sociedade em geral. Baixas taxas de criminalidade, um número mínimo de ataques terroristas e manifestações violentas, relações harmoniosas com os países vizinhos, política estável e um baixo índice de deslocamentos internos, ou seja, poucas pessoas forçadas a sair de suas casas por um motivo ou outro.

Os lugares mais seguros do mundo
Pode ser apenas coincidência que os países mais seguros do mundo também ofereçam algumas das experiências de estudo mais exclusivas e agradáveis possíveis no exterior. Aqui estão os principais países, classificados por um relatório recente do Global Peace Index e como cada um pode ser adequado para sua jornada no exterior.

1. Islândia

A Islândia tem sido classificada como o país mais pacífico no Índice de Paz Global desde 2008.

É uma nação progressista e pacífica que formou uma sociedade moderna onde a liberdade e a igualdade são as qualidades mais importantes. A Islândia está continuamente no topo das medições de qualidade de vida, igualdade de gênero e democracia, e é um dos países mais bem classificados do mundo em termos de saúde, educação e disponibilidade de internet.

Existem sete universidades na Islândia. A maioria das instituições de ensino superior é dirigida pelo estado ou por entidades privadas com apoio do Estado. Atualmente, existem aproximadamente 18.000 alunos matriculados no sistema de ensino superior, dos quais cerca de 5% são estudantes internacionais.

2. Nova Zelândia

A Nova Zelândia é um belo país que, apesar de seu tamanho aparentemente pequeno, pode parecer tão imenso com suas montanhas inspiradoras e campos abertos. Este espaço dá à Nova Zelândia um humor paciente, mesmo nas cidades mais movimentadas como Wellington, Auckland ou Christchurch.

A natureza calma e descontraída da Nova Zelândia é representativa das pessoas agradáveis e acolhedoras, bem como das baixas taxas de criminalidade do país e da segurança geral. Além do mais, tem visto um grande aumento nos estudantes internacionais nos últimos tempos, graças a essa segurança e à excelente educação que a Nova Zelândia pode oferecer.

3. Portugal

Pacífica e bonita, há muito para amar no país mais ocidental da Europa. Abençoado com um clima agradável, um povo tranquilo e uma cultura encantadora, viver em Portugal é como viver num grande cobertor confortável.

O sistema de ensino superior português vem passando por uma profunda reforma nos últimos anos, de acordo com a estratégia europeia para a modernização do ensino superior. Uma série de medidas foi introduzida nos últimos anos para a realização do que é conhecido como o Processo de Bolonha, nomeado com o objetivo de alargar o acesso ao Ensino Superior, garantindo a avaliação da qualidade e modernizando e internacionalizando o Ensino Superior.

4. Áustria

Localizada na Europa central, com algumas vistas belíssimas, a Áustria também tem um excelente sistema de ensino superior. A importância que a Áustria atribui ao ensino superior reflete-se em suas mensalidades, que são incrivelmente baixas para o padrão de educação recebido, mesmo para estudantes internacionais.

O idioma principal falado lá é o alemão, enquanto o inglês também é popular entre os residentes, o que o torna um ótimo destino para praticar vários idiomas ao mesmo tempo.

5. Dinamarca

Além de seu povo amigável, comunidades seguras e baixa taxa de criminalidade, a Dinamarca está repleta de cidades prósperas e paisagens idílicas. Uma vez que você chega, pode parecer óbvio por que tantas pessoas escolhem a nação nórdica para estudar no exterior. A educação dinamarquesa é inovadora e as qualificações são reconhecidas em todo o mundo, proporcionando-lhe uma excelente base para a sua futura carreira.

6. República Checa

Estudar na República Tcheca coloca você no meio da Europa e lhe dá uma grande chance de viajar por todo o continente e descobrir países e lugares que você não teria a oportunidade de visitar.

Em parte devido à sua localização geográfica, a República Checa situa-se na intersecção de um grande número de culturas. A mistura cultural única do país foi historicamente formada principalmente por influências eslavas, alemãs, austríacas e judaicas, o que resultou em um rico patrimônio cultural e estilo de vida da Europa Central.

7. Eslovénia

Embora a Eslovênia só exista como país independente desde 1991, ela já possui uma rica história cultural e educacional. Há cursos oferecidos em inglês e esloveno nas quatro principais universidades: em Maribor, Ljubljana, Nova Gorica e Primorska; com cerca de 50 instituições de ensino superior independentes, oferecendo numerosos programas de estudo em todas as outras áreas.

Assim como a República Tcheca e a Áustria, ela está localizada com segurança dentro da Europa central, é acessível, agradável e um testemunho do crescimento pelo qual o país passou nos últimos anos.

8. Canadá

Abençoado com uma população quase estereotipada, o Canadá é um dos países mais pacíficos do planeta. É lindo também, com vastas paisagens deslumbrantes que mostram a beleza excepcional da América do Norte.

É uma nação moderna e progressista com cidadãos de mente aberta. Tem duas línguas oficiais, inglês e francês e é abençoado com um ar multicultural. As universidades canadenses estão consistentemente classificadas entre as melhores do mundo, enquanto o Canadá é constantemente classificado como um dos melhores e mais seguros países do mundo para se viver.

9. Suíça

Embora conhecida pela excelência acadêmica, a Suíça também é um ótimo lugar para estudar se você quiser aprender uma segunda língua, graças à população multilíngue. Dependendo de onde você estuda, você pode se familiarizar com o alemão, o francês ou o italiano. Cada área linguística tem suas próprias instituições, tradições e culturas, então faça sua pesquisa antes de ir.

Em suas horas livres de estudo, você poderá explorar o que é amplamente considerado como um dos países mais bonitos do mundo. Os Alpes dominam 60% do país, mas o cenário impressionante não é tudo que é oferecido. No verão, você poderá desfrutar de festivais de artes e música em prados suíços, enquanto nos meses mais frios terá a oportunidade de participar de esportes de inverno, como esqui, hóquei no gelo e patinação.

10. Irlanda
A Irlanda é conhecida por abrigar uma das populações mais amigáveis do mundo e, da mesma forma, faz parte dos dez países mais seguros do mundo. O governo irlandês investe mais de 782 milhões por ano em pesquisa nas instituições de ensino superior da Irlanda.

As universidades irlandesas estão no topo das instituições do mundo em termos de impacto de pesquisa em 19 campos, abrangendo ciências naturais, ciências sociais e humanidades. Isso cria uma oportunidade única para você, em nível de graduação e pós-graduação, participar de programas de pesquisa que impulsionam a inovação e mudam vidas em todo o mundo.

11. Japão

Embora o Japão tenha tido sua parcela de violência no passado, agora é notavelmente pacífico e um lugar extremamente agradável para se estudar. Os japoneses consideram a comunidade muito importante, praticando paciência e aceitação em todos os modos de vida.

O Japão pode ser uma terra de contrastes. Ele pode ser incrivelmente movimentado; Tóquio tem mais de 35 milhões de pessoas vivendo nela, bem como altamente avançada tecnologicamente, a infraestrutura e inovação do país tornou a inveja do mundo de muitas maneiras. No entanto, uma cultura e patrimônio incorporados na tranquilidade significa que você pode passar a manhã em uma das ruas mais movimentadas do mundo e à tarde em um dos jardins mais tranquilos como você nunca encontraria em canto algum.

12. Austrália
Apesar de ter uma população de apenas 23 milhões, a Austrália tem o terceiro maior número de estudantes internacionais do mundo, atrás apenas do Reino Unido e dos Estados Unidos. Isso não surpreende quando você considera que a Austrália tem sete das 100 melhores universidades do mundo. De fato, com mais de 22.000 cursos em 1.100 instituições, a Austrália frequentemente está acima de países como Alemanha, Holanda e Japão nas listas de classificação das universidades.

A Austrália é constantemente classificada entre os países mais felizes do mundo e tem algumas das cidades mais bem classificadas do mundo para a vida estudantil.

Reconhecimento do Apelo de Segurança

Como mencionado anteriormente, pela maioria das métricas, quase todos os países hoje podem ser considerados seguros. Mas se você for a um país "seguro" ou não, é sempre bom permanecer atento a seus pertences e à segurança pessoal. Não deve ser algo para se preocupar, mas sim estar ciente disso.

Você deve se sentir relaxado sobre a sua segurança, mas isso não quer dizer que você deve ser negligente em relação a isso.

A segurança é uma maneira fundamental de os governos e universidades incentivarem um estudante a estudar lá. Espero que agora você reconheça isso e tenha isso em mente ao decidir aonde ir para sua aventura no exterior.