5 questões essenciais sobre estudar na Suíça

Pensa que fazer um curso na Suíça é caro? Vai fazer você perder muito tempo com visto? Nem tanto: se você comparar com outros países europeus, o processo de visto é bem semelhante as mensalidades podem até ser mais reduzidas. Já as outras despesas irão depender se você escolher entre uma residência, um apartamento ou... um palácio nas montanhas suíças. Qual vai preferir?

Se você está pensando em estudar no exterior, visite a próxima feira de intercâmbio, o Salão do Estudante, que acontece em março em uma cidade próxima de você. Para mais informações, visite o site do Salão e registre-se.

1.      Suíça, doce Suíça

Conhecida como o cenário idílico dos contos da pequena Heidi e pelo seu famoso chocolate, esse país entre a França, Itália e Alemanha é uma referência mundial em níveis de segurança e estabilidade. Repleta de notáveis empresas de produção de relógios, instituições financeiras e organizações internacionais - com escritórios das Nações Unidas, do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, da Organização Mundial de Comércio e as sedes de várias empresas multinacionais - a Suíça é um verdadeiro centro mundial de diplomacia e negócios.

Estudando território suíço, você irá ouvir francês, alemão e italiano, dependendo da região em que você se encontra e do país que está do outro lado da fronteira. Por este motivo, normalmente se diz que a Suíça se divide em três regiões linguísticas: a francesa, a alemã e a italiana.

A escola suíça SUMAS, Escola de Gestão de Sustentabilidade, fica na região linguística francesa, mais precisamente nas margens do imenso Lago Léman, o maior da Europa ocidental. O campus está localizado na relaxante cidade de Gland, a meio caminho entre Genebra e Lausanne (a meia hora de trem para cada uma), em uma região de vinharias e montanhas alpinas. No entanto, todos os cursos da SUMAS são ensinados em inglês.

 

2.      Os seus tempos livres

Também bem perto do campus de Gland, sobre o lago, está a bela cidade de Nyon, onde você poderá desfrutar de um ambiente mais agitado e de atividades mais cosmopolitas: festivais, shoppings, clubes e cinemas não faltam em Nyon.

No entanto, o que a Suíça tem de melhor está na Natureza, e isso você pode defsrutar a qualquer momento: no verão, o Lago Léman atrai turistas de todo mundo para a prática de esportes aquáticos e os Alpes são o cenário ideal para caminhadas nas suas floridas encostas – tal e qual como nos contos de Heidi; no inverno, os Alpes suíços são o paraíso para os amantes de esportes de neve e algumas das mais apreciadas estâncias de ski ficam nessa região. Durante todo o ano, existem muitas outras distrações disponíveis ao redor de Gland, desde visitas a castelos e museus a inúmeros torneios e atividades esportivas para assistir e praticar.

Na SUMAS, por exemplo, são organizadas viagens de barco e ônibus até áreas turísticas francesas e italianas, reuniões de convívio em bares e clubes especialmente para os caloiros, semanas de esqui, tênis, piscina e muito mais.

 

3.      A Educação na Suíça

“De excelente reputação”, isso é o que você ouve por aí e que você já sabe... agora, por que vale a pena estudar na Suíça?

Vamos por partes: sendo um centro de encontros internacionais, no coração da Europa, você pode ter certeza que estará estudando em um ambiente multicultural, aprendendo vários idiomas com falantes nativos de francês, alemão e italiano, bem como com muitos estudantes de intercâmbio dos quatro cantos do mundo.

E o inglês? Não se preocupe porque esse idioma você também estará sempre praticando: para além das instituições, existem várias estações de rádio, cinemas, espetáculos culturais, jornais e revistas que utilizam exclusivamente inglês como meio de comunicação.

Depois, compare o sistema educacional da Suíça com a sua paisagem: a mesma diversidade. A educação superior pública na Suíça é providenciada por dez Universidades Cantonais e dois  Institutos Federais de Tecnologia. Existem ainda as Universidades de Ciências Aplicadas, orientadas para a formação profissional, e as universidades focadas na preparação para o ensino. Ao nível do ensino privado, existem também várias conceituadas universidades, institutos e escolas biligues e internacionais disponíveis para alunos de todo o mundo. No geral, as instituições de ensino superior suíças são frequentemente classificadas entre as melhores do mundo, graças à sua diversificada oferta e capacidade de antecipação e adaptação aos desafios e exigências do futuro.

O custo de um curso na Suíça é relativamente baixo quando comparado com outros sistemas europeus, mas o orçamento gasto pode variar bastante dependo da escola, do nível do curso e também da região suíça que escolher para estudar. Existem bolsas de estudos para estudantes internacionais disponibilizadas pelo Governo da Suíça, sobre as quais você pode obter mais infomação contatando com a Embaixada Suíça no seu país.

 

4.      O visto de estudante

Ainda que não faça parte da União Europeia, a Suíça está inclusa no Espaço Schengen, a área de livre circulação de pessoas e bens da Europa. Isso significa que o processo de visto é semelhante ao de outros países europeus que fazem parte desse Espaço e também que, uma vez na posse do mesmo, você poderá utilizá-lo para viajar para outros lugares pela Europa.

Os requisitos de visto dependem de nacionalidade para nacionalidade – brasileiros não necessitam de visto para estudar na Suíça para períodos inferiores a 90 dias. Você apenas necessita ter os seus documentos em dia – confira as datas de validade e expiração atempadamente porque é importante para poder se mover mais facilmente entre países europeus.

E se estudar mais de 90 dias na Suíça? Bom, se você vai para fazer sua Graduação, Mestrado ou Doutorado ou até para um curso de seis meses, você já terá que solicitar um visto de estudante junto da Embaixada Suíça no Brasil. Normalmente, esse é um processo que demora entre 2 a 4 meses até o processamento do visto, mais ou menos o que você teria que aguardar para outro país europeu.

Não se esqueça que, antes de antes de solicitar o visto, você precisa ser aceito na sua instituição para poder comprovar que está realmente indo estudar na Suíça.

 

5.      Vivendo na Suíça

O preço da estadia na suíça vai depender do tipo de acomodação que você escolher, já que as opções são variadas: apart hotel, residência de estudantes, estúdios ou, veja só, um palacete – não um palacete só para você, mas um quarto em um dos “chateaux” suíços, mansões localizadas nas grandes fazendas e vinharias regionais. Não é um sonho, você pode mesmo ficar em um desses lugares!

Para encontrar mais facilmente um lugar para morar na Suíça, a própria escola ajudará você na sua busca. Geralmente, é recomendado que você conte com um gasto de 1600 francos suíços (cerca de 4800 reais) para as suas despesas mensuais, incluindo comida e outros gastos pessoais, aluguel, transporte e seguro de saúde. Lembre-se: a Suíça não é um país barato e Zurich e Genebra são recorrentemente consideradas das cidades mais caras do mundo, mas tudo dependerá do seu orçamento e dos seus hábitos.

Uma dica que vai ajudar você a economizar: circule de bicicleta! A SUMAS incentiva o hábito de utlização dos vélos para curtas distâncias e tem mesmo uma estação de bicicletas na frente do seu edifício principal. Esse sistema chamado “Velopass” dispõe de várias estações interconectadas, disponíveis 24 horas por dia, nas quais você poderá alugar uma bicicleta para se deslocar até outros pontos da cidade: acessível e amigo do ambiente!

 

Se você está pensando em estudar no exterior, visite a próxima feira de intercâmbio, o Salão do Estudante, que acontece em março em uma cidade próxima de você. Para mais informações, visite o site do Salão e registre-se.

 Fonte: SUMAS, Sustainability Management School

 

Tags