O que visitar em Lisboa? Roteiro de 3 dias para estudantes internacionais

Se você está indo estudar para Portugal e planeja passar apenas um final de semana prolongado na capital lusa, saiba que pode visitar grande parte dos monumentos e ainda ter tempo para relaxar nas várias esplanadas da cidade sem ter que gastar muito tempo e dinheiro. Confira as nossas sugestões detalhadas para três dias maravilhosos em Lisboa!


1º dia: Baixa da Cidade e Bairro Alto

Já chegou em Lisboa? Então, quer você tenha vindo de ônibus, de trem ou de avião, pegue o metrô e saia na estação “Baixa-Chiado”. Saindo para a Rua Garrett, você vislumbrará imediatamente o histórico café “A Brasileira” – nas portas do qual se encontra a famosa estátua do poeta Fernando Pessoa -, bem como a mais antiga livraria em todo o mundo, a “Bertrand”.

Desça a rua e entre o edifício branco que se encontra ao fundo. Você está nos Armazéns do Chiado, o lugar ideal para quem está nesta zona da cidade e não tem muito tempo nem muito dinheiro para gastar com almoço. No piso superior você encontrará várias opções com pratos tradicionalmente portugueses.

Guardou espaço no seu estômago? Se não guardou, devia, porque essa sobremesa é imperdível: de frente para os Armazéns do Chiado, a sorveteria Santini tem os melhores sorvetes da cidade, feitos artesanalmente com frutas nacionais. Não se assuste com a fila, porque a espera valerá bem a pena!

Enquanto desfruta do seu sorvete, desça essa mesma rua até chegar na Praça do Rossio. Caminhe por aí e siga, depois, na direção do rio pela Rua Augusta, considerada uma das mais belas de toda a Europa, com sua animação de rua e uma oferta de lojas e restaurantes bastante diversa.  Não se deixe enganar por nenhuma armadilha de vendedores e pense duas vezes antes de entrar no Elevador de Santa Justa, porque existem outros lugares da cidades de onde você poderá usufruir de vista igualmente bela por menos – em breve saberá onde.

Imagem 1 - Se subir no arco da Praça do Comércio (acima) poderá avistar o resto da zona baixa da cidade, bem como o rio. Exige pagamento de ingresso.

Quando já estiver na Praça do Comércio, desfrute da paisagem caminhando na beira do rio Tejo depois voltando para a direção do bairro de Alfama. O seu objetivo? Chegar no Castelo de São Jorge e desfrutar de um maravilhoso pôr do sol do alto das muralhas. Siga as placas indicativas caso decida subir a pé ou, pegando o famoso Elétrico 28, lembre-se de pedir para sair antes do final da viagem, porque a viagem tem tanto de turbulenta como de fascinante.

Já saindo do Castelo, deixe-se inspirar ainda mais pelas estreitas e caraterísticas ruas do bairro de Alfama. Se já estiver próximo da hora de jantar, facilmente você encontrará uma típica Casa de Fados onde pode desfrutar de uma agradável (e longa) refeição enquanto escuta o género musical mais tradicional de Lisboa – o Fado.

Achou essa música muito triste? Ainda tem energia para animar a sua noite? Para tudo tem alternativa: regresse até à zona da Baixa-Chiado. Seja sexta ou sábado à noite, o animado Bairro Alto é o lugar ideal para entrar no verdadeiro espírito boêmio de Lisboa. Apenas se perca por esse conjunto de ruas íngremes e cheias e escolha um bar para passar o resto da noite.

Nota: o metrô encerra por volta da 1h da manhã. Verifique os seus horários para não ter que pedir um táxi.

 

2º dia: Belém e Avenida da Liberdade

Hoje o ponto de partida é o Cais do Sodré. Saindo na estação de metrô com o mesmo nome, você encontra vários ônibus e o Elétrico 15E que levarão você até à zona histórica de Belém.

Durante a viagem, preste atenção à vista para o tejo e aos edifícios palaciais que vai atravessando. Após passar um grande edifício rosa – o Palácio da República – e assim que avistar um imponente mosteiro rodeado de turistas, saia na parada mais próxima. Comece precisamente pelo Mosteiro dos Jerônimo, não esquecendo de visitar a respetiva igreja, onde você encontra os túmulos de várias figuras importantes do passado português. No jardim que fica de frente poderá encontrar uma feira de artesanato e também um túnel que lhe dá acesso ao “Padrão dos Descobrimentos”. A vista do alto deste monumento é deslumbrante mas, mais adiante, na Torre de Belém, você pode explorar a mesma paisagem em um espaço mais amplo. Caminhe na direção desta torre; alertamos: a distância é maior do que parece, mas é uma caminhada bem agradável junto ao rio. Tanto o padrão como a torre são monumentos dedicados aos navegadores portugueses, fazendo referência ao período Descobrimentos.

Por essa altura, o seu estômago já estará implorando por comida. Recomendamos que pegue o elétrico que passa perto da Torre de Belém para voltar à zona do mosteiro. Uma vez aí, pode almoçar em um dos vários restaurantes e bares (normalmente cheios no fim-de-semana).

Sugestão para quem gosta de museus e repôs as energias após a refeição: bem próximo ao mosteiro, o Museu Berardo, com entrada gratuita e um extenso acervo de arte moderna, o Planetário e os Museus da Marinha e de Aeronáutica estão quase sempre disponíveis, sem fila de entrada.

Está na hora de provar o famoso Pastel de Belém, uma parte imprescindível do seu passeio. De novo, nem se assuste com a fila exterior, porque o melhor é entrar no próprio café, pedir uma mesa e pedir um chá ou refresco para acompanhar o seu pastel. 

Imagem 2 - Precisa de descrição? Açúcar e canela em cima: ao ataque!

Para a digestão, recomendamos uma curta caminhada até o Palácio de Belém, perto do qual tem o renovado Museu dos Coches esperando por sua visita. De frente para o palácio, pegue o ônibus 727. A viagem será, desta vez, pelo meio da cidade; da janela do ônibus, poderá vislumbrar a Assembleia da República e a estátua do Marquês de Pombal. Saia na parada imediatamente seguinte para poder acessar o Parque Eduardo VII; acreditamos que você já esteja demasiado cansado para subir e tirar uma foto do alto do parque – passe esta parte e vá direto para a Avenida da Liberdade, a mais cara avenida do país. Descendo esta rua repleta de lojas de grife, você chega na Praça dos Restauradores: olhe para a sua direita e procure a rua com o elétrico circulando para baixo e para cima. Agora é com você: tem coragem de subir a pé ou vai entrar no “amarelinho”?

No cimo da rua, você encontra um jardim com uma bela vista sobre a “Cidade das 7 Colinas”, incluindo o Castelo. Relaxe, tire bastantes fotos e aprecie a oferta de restaurantes em redor. Sabe o que irá encontrar se caminhar para sul? O Bairro Alto e o Chiado, lugares onde você já sabe que existe uma vasta gama de lugares para terminar o seu dia.

 

3º dia: Parque das Nações

O ultimo dia é para relaxar: não percisa acordar tão cedo quanto nos dias anteriores.

Primeiro, dirija-se novamente para a zona do Cais do Sodré.

Caso já esteja com vontade de petiscar algo, o Mercado da Ribeira é uma ótima opção. Fica justamente de frente para a estação do metrô e é um espaço de alimentação, onde você pode experimentar pratos típicos regionais e também internacionais, numa versão gourmet mas a preços convidativos.Caso ainda seja demasiado cedo para almoçar, opte por caminhar um pouco junto ao rio, na direção da Praça do Comércio (onde você já esteve no primeiro dia).

Quer você decida voltar para o mercado ou ficar pela praça, é simples pegar o metrô até a estação Oriente. Esta é também uma estação de trem, bastante conhecida pelo seu design futurista, concebido pelo famoso arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Agora você está na zona mais recente de Lisboa, renovada em 1998 a propósito da grande exposição internacional Expo98. Acesse a orla do rio, atravessando o shopping Vasco da Gama ou aventurando-se pelas ruas paralelas.

Imagem 3 - Para além dos dois prédios altos que ladeiam o shopping, que lembram dois barcos pelo seu topo em forma de proa (acima), existem vários outros imponentes edifícios – o Pavilhão e a Torre de Portugal e o salão de eventos MEO Arena, por exemplo – que não passarão despercebidos.

A escolha é sua: pode visitar um dos edifícios locais, fazer um passeio de teleférico sobre o rio para vislumbrar a ponte Vasco da Gama, a mais extensa da Europa, ou andar até o Oceanário, esse edifício de formas geométricas do lado direito do shopping (os ingressos custam cerca de 15€, pelo que deve considerar o tempo que tem para gastar lá dentro).

Se você quer aproveitar a passagem por Lisboa para fazer compras, pode sempre passar de novo pelo shopping Vasco da Gama ou até mesmo voltar para a Baixa da cidade, onde encontrará muitas lojas internacionais e quiosquies de souvenir para nunca esquecer estes três dias em Lisboa.

Boa viagem!


Tags